May 2019

Sorteio Agile Portugal 2019 – Termos e Condições

Termos e Condições de Participação no Sorteio de 2 bilhetes para o evento Agile Portugal 2019

A participação no sorteio “Bilhetes para o evento Agile Portugal 2019 – Porto” é promovida pela Xpand Solutions – Informática e Novas Tecnologias, Lda (adiante designada por Xpand IT) e implica a total aceitação dos Termos e Condições de Participação aqui designados.

Regras de participação:

  1. O sorteio é online e decorrerá de dia 24 de maio de 2019 até 28 de maio de 2019 nas contas oficiais de Facebook – https://www.facebook.com/XpandITPortugal/ e LinkedIn – https://www.linkedin.com/company/xpand-it da Xpand IT. A Xpand IT reserva-se o direito de alterar as datas do sorteio.
  2. São válidas as participações no sorteio que cumpram todos os seguintes requisitos:
  • Maiores de 18 anos;
  • Residentes em Portugal;
  • Atuais ou novos seguidores das contas oficiais de Facebook e LinkedIn que participem no sorteio;
  • Pessoas com contas ativas no Facebook e LinkedIn e cujos perfis à data da participação sejam passíveis de identificação como pertencentes às pessoas que as utilizam;
  • Pessoas que não estejam envolvidas ou tenham vínculo com as promotoras do Agile Portugal 2019 bem como com a Xpand IT.
  1. O sorteio destina-se a oferecer exclusivamente 2 bilhetes individuais para o evento Agile Portugal 2019 (https://2019.agilept.org/), a decorrer no dia 31 de maio, no Porto.
  2. O apuramento dos vencedores será feito pela Xpand IT através de sorteio aleatório com recurso à plataforma random.org.
  3. É proibida a participação no sorteio da Xpand IT para fins contrários à Lei e que sejam suscetíveis de causar prejuízo a terceiros, ou que, de qualquer forma, lesionem a sua honra, dignidade, imagem, intimidade, crenças, ideologias, crenças religiosas ou qualquer outro direito reconhecido legalmente. O participante não pode assumir a identidade de outra pessoa utilizando para o efeito dados de identificação desta.

Modo e condições de participação

  1. A participação no sorteio deve ser feita exclusivamente da seguinte forma:
    • Seguir a conta oficial de Facebook e LinkedIn da Xpand IT;
    • Fazer like no post do Facebook e LinkedIn da Xpand IT sobre o Agile Portugal 2019;
    • Fazer 1 (um) comentário e “taggar” dois amigos no post. 
  2. Serão aceites todas as participações feitas até às 10h00 do dia 28 de maio.
  3. Por cada conta de Facebook e LinkedIn será validado para efeitos do sorteio 1 (um) comentário.
  4. Não serão validados quaisquer comentários que contenham afirmações com linguagem imprópria, conteúdos difamatórios e/ou caluniosos, que sejam suscetíveis de causar prejuízo a terceiros e de lesionar a dignidade, honra, crenças e imagem de outras entidades ou utilizadores de contas de Facebook ou LinkedIn. A Xpand IT reserva-se o direito de eliminar comentários e/ou bloquear contas que tenham os comportamentos acima descritos.
  5. O sorteio realiza-se no dia útil em que o sorteio termina, após as 10h00 do dia 28 de maio.
  6. A comunicação aos vencedores é feita através de mensagem privada na conta de Facebook ou LinkedIn e só se concretiza após a indicação pelo utilizador dos seguintes dados pessoais:
    • nome (primeiro e apelido);
    • email profissional válido;
    • empresa.
  7. A comunicação dos vencedores é feita através das contas oficiais de Facebook e LinkedIn da Xpand IT, com identificação das contas vencedoras através de um post.
  8. Será disponibilizada online, no portal https://www.xpand-it.com/pt-pt/, na área exclusiva do sorteio, uma página web com toda a informação, termos e condições de participação sobre o sorteio.

Entrega do prémio

  1. Os 2 bilhetes de entrada no evento Agile Portugal 2019 serão entregues por email (através do email profissional fornecido), ao longo do dia 28 de maio.
  2. A entrega do prémio é da inteira responsabilidade da Xpand IT não podendo ser assumida por outra entidade ou pelos promotores do evento.
  3. A Xpand IT pode dar lugar à substituição do prémio a todo o tempo, comunicando assim que possível aos vencedores.
  4. Cada bilhete é individual e intransmissível, não podendo ser substituído no dia por outro prémio, convertido em dinheiro ou transmitido a outra pessoa, por qualquer razão.
  5. Em caso de cancelamento do evento, não haverá lugar ao reembolso do prémio.

Tratamento de dados pessoais

  1. A Xpand IT garante a reserva da identidade de cada participante.
  2. A Xpand IT, nos fins estritos de desenvolvimento e persecução do sorteio, irá recolher e fazer o tratamento dos dados dos participantes vencedores, podendo incluir os mesmos num ficheiro de propriedade exclusiva da Xpand IT, que os salvaguardará.
  3. Os participantes vencedores poderão exercer os seus direitos de cancelamento e/ou retificação dos seus dados mediante solicitação escrita dirigida à Xpand IT ou através do email data.protection@xpand-it.com.
Ana LamelasSorteio Agile Portugal 2019 – Termos e Condições
read more

Bootstrap: introdução à biblioteca CSS mais popular do mundo

O Bootstrap é a framework baseada em HTML, CSS e JavaScript mais popular para a criação de websites responsivos e direcionados para plataformas móveis.

Com o crescimento incessante de dispositivos móveis em todo o mundo, tornou-se clara a necessidade de possuir um website responsivo, e ao aplicar uma abordagem mobile-first (direcionada especificamente para plataformas móveis), esta framework revelou-se uma ferramenta indispensável e tornou-se cada vez mais popular, ano após ano, maioritariamente devido às suas inúmeras funcionalidades e facilidade de utilização. Um dos aspetos mais essenciais desta framework, cujo representa a base para construir um layout organizado e estruturado, é o grid (grelha). O Bootstrap foi desenvolvido com um poderoso 12-Column Grid System (Sistema de Grelha com 12 Colunas), que permite aos developers organizarem e alinharem o conteúdo numa grelha completamente personalizável e responsiva. A grelha ajusta-se de acordo com a resolução do dispositivo ou dimensão do viewport (“janela de visualização”), tornando o conteúdo do website interativo e agradável tanto para utilizadores de dispositivos móveis, como para utilizadores de desktop.

Para além disso, o Bootstrap providencia um estilo base para a maioria dos elementos HTML, atribuindo ao website um aspeto mais polido, assim como uma lista vasta de componentes pré-concebidos e completamente responsivos, fáceis de integrar e personalizar. Em termos de personalização, o Bootstrap permite a alteração do estilo base, tais como o tipo, cor e tamanho de letra, assim como a modificação de breakpoints existentes utilizados num layout em grelha, sobrepondo as regras CSS existentes com regras personalizadas, de acordo com o design do projeto.

O Bootstrap também poderá beneficiar aqueles que preferem construir um website responsivo sem qualquer base, sem assistência de qualquer biblioteca terciária, e utilizar código CSS pré-concebido e componentes de projetos anteriores para criar o mesmo resultado, ou quem tenha uma abordagem mais conservadora em aceitar as funcionalidades desta framework.

Portanto, como é que o Bootstrap beneficia este tipo de utilizadores?

Bem, se existir um projeto com uma data de entrega exigente, que envolva vários developers, o Bootstrap providencia consistência entre projetos e indivíduos (representa uma tecnologia bastante familiar), assim como velocidade no processo de desenvolvimento, graças às classes pré-concebidas, reduzindo a quantidade de trabalho e tempo necessária para escrever o código integralmente. É importante mencionar que o Bootstrap possui uma excelente compatibilidade entre diferentes browsers, sendo atualmente compatível com as versões mais recentes de todos os browsers mais populares (Chrome, Firefox, Safari, Microsoft Edge e Internet Explorer 10+), e um nível soberbo de suporte, possível através da gigantesca comunidade por detrás da framework. Ser completamente grátis e open source são os aspetos mais importantes a salientar. Antes de analisarmos alguns exemplos, vamos descobrir como é fácil começar com o Bootstrap.

Continuar a ler
Diogo CardanteBootstrap: introdução à biblioteca CSS mais popular do mundo
read more

Guia prático para instalar Kotlin

Com o passar do tempo são cada vez mais os adeptos da linguagem de programação Kotlin, especialmente no que toca ao desenvolvimento Android. No entanto, Kotlin não serve apenas para desenvolver aplicações Android. Tanto é uma linguagem de programação para a JVM como é uma linguagem de programação para o Browser ou Nativo, sem precisar de correr numa máquina virtual.

Kotlin é 100% interoperável com Java, o que nos permite adicionar código em Kotlin num projeto que tenha sido iniciado em Java.

Uma das grandes vantagens desta linguagem é a ausência de NullPointerExceptions. Se compararmos diretamente com Java, vemos também que é possível criar-se as mesmas classes usando menos linhas de código.

Se ficou convencido com estes argumentos, ou se sentiu curiosidade em relação a esta linguagem, faça download de um guia prático de instalação – onde também poderá ficar a par de alguns conceitos básicos.

Download do guia de instalação de kotlin

Se pretende saber mais sobre a linguagem de programação Kotlin, recomendamos a leitura deste blog post: Kotlin e um futuro (ainda mais) brilhante.

Bruno AzevedoGuia prático para instalar Kotlin
read more

Bootstrap: Introduction to the world’s most popular CSS library

Bootstrap is the most popular HTML, CSS and JavaScript based framework for developing responsive, mobile-first websites.

With the successive growth of mobile devices in the world, it is becoming clearer that having a responsive website is a must, and by taking a mobile-first approach, this framework has been revealed as an indispensable tool and became more popular year after year, mostly because of its feature-rich nature and ease of use. One of the most essential aspects of this framework, which represents the foundation on which to build an organised, structured layout, is its grid. Bootstrap is built on a powerful 12-Column Grid System, which allows developers to arrange and align content in a fully customisable, responsive grid. The grid adjusts according to the device resolution or viewport size, making the website content interactable and pleasant for both mobile and desktop users.

Beyond this, Bootstrap offers a base style for most HTML elements, making the website look more polished, as well as an extensive list of pre-built, fully-responsive components that are easy to integrate and customise. In terms of customisation, Bootstrap lets you change the base style, including fonts, colours and sizes, as well as modifying the existing breakpoints used in grid layout by overriding the existing CSS rules with custom ones according to the project design.

For those who prefer to build a responsive website from scratch, without the assistance of any 3rd party libraries, and who use ready-made CSS code and components from previous projects to achieve this, or who may tend to have a more conservative approach towards accepting its framework features, Bootstrap can also offer great benefits.

So, what are these benefits of Bootstrap?

Well, where you have a project with a tight schedule and with multiple developers involved, Bootstrap offers consistency between projects and people (it represents a commonly known technology) as well as speed in development, thanks to its pre-styled classes, which require much less effort and time than when creating everything from scratch. It´s important to mention that Bootstrap has good cross-browser compatibility, being currently compatible with all the latest major browsers (Chrome, Firefox, Safari, Microsoft Edge and Internet Explorer 10+) and excellent support, thanks to the huge community behind it. And, most importantly, it´s completely free and open-source. Before looking at some examples, let´s see how easy is to get started with Bootstrap.

Keep reading
Diogo CardanteBootstrap: Introduction to the world’s most popular CSS library
read more

Practical guide to installing Kotlin

Time passes by and the programming language Kotlin has more and more fans, especially when we talk about Android programming. However, Kotlin is not limited to Android mobile apps development. It is either a programming language for the JVM or a programming language for the Browser or Native, without having to run in a virtual machine.

Kotlin is 100% interoperable with Java, which allows you to add code in Kotlin to a project that has been started in Java.

One of the great advantages of this language is the absence of NullPointerExceptions.

In a direct comparison with Java, it is possible to create the same classes using fewer lines of code.

If you were convinced by all of these arguments, or if you got curious about this language, download a quick guide on how to install Kotlin and plus some basic concepts.

Download kotlin installation guide

If you want to know more about the Kotlin programming language, we recommend reading this blog post: Kotlin and a brighter future.

Bruno AzevedoPractical guide to installing Kotlin
read more

Advanced Analytics: learn how to elevate data analysis to a whole new level

Implementing a business intelligence model requires more than just gathering data; overall, it’s really about converting big data and valuable insights to add value to the business. However, if there’s no model available that allows you to analyse and understand this incoming data, all you’ll get is meaningless numbers with no added value.

In order to perform a correct data analysis, it is necessary to understand that there’s no unique valid method of analysis; the process depends on needs and requirements and the type of data collected in order to determine the most suitable analysis methodology.

However, there are some methods common to most advanced analytics that are capable of turning data into added valu, even when there aren’t established business rules, transforming data agglomerates into relevant insights, beneficial to the business and enabling well-founded decision-making.

Quantitative data and qualitative data

Before covering the various methods, let’s identify the precise type of data you want to analyse. For quantitative data, the focus is on raw number quantity, as the name suggests. Examples of this type of data include sales figures, marketing data, payroll data, revenue and expenses, etc. Basically, all the figures that are quantifiable and objectively measured.

Qualitative data, on the other hand, is fundamentally harder to interpret, considering its lack of structure, more subjective and of an interpretive nature. At this end of the spectrum you can find examples such as collected information from surveys or polls, employee interviews, customer satisfaction questionnaires and so on.

Measuring quantitative data

Looking at the analysis of quantitative data, there are four methods capable of taking that very same analysis to the next level.

  1. Regression analysis

The choice of the best type of statistics will always depend on the main goal of the research.

Regression analysis is capable of modelling the correlation between a dependent variable and one or more independent variables. In data mining, this technique is implemented to predict values on a particular dataset. For example, it can be used to foresee the price of a certain product, while considering other variables. It can also be useful to identify trends and correlations between different factors.

Regression is one of the commonest methods of data analysis in the market for management purposes, marketing planning, financial forecast and much more.

  1. Hypothesis testing/significance testing

This method, also called “T-testing”, is capable of determining if a certain premise is true for the relevant dataset. In data analysis and statistics, only a statistically significant result would be considered from a certain hypothesis, resultant of a non-random occurrence. This procedure makes predictions regarding a certain quantity of interests present in a certain population, from a studied sample, using the theory of probability.

  1. Monte Carlo simulation

One of the most popular methods for calculating the effect of unpredictable variables from a specific factor involves Monte Carlo simulations, using probability modelling to defend against risk and uncertainty. To test a scenario or hypothesis, this simulation uses random numbers and data to simulate a variety of possible outcomes. This tool is frequently used for project management, finance, engineering and logistics, amongst other areas. By testing a wide variety of hypothesis, it is possible do discover how a series of random variables can affect plans and projects.

  1. Artificial neural networks

This computational model replicates the human central nervous system (in this case, the brain), allowing the machine to learn by observing data (so-called ‘machine learning’). This type of information processing replicates the neural networks, using a model of biological inspiration to process information and learn through analysis, simultaneously performing predictions. In this model, the algorithms are based on sample inputs, while applying inductive reasoning – extracting rules and patterns from large sets of data.

Sílvia RaposoAdvanced Analytics: learn how to elevate data analysis to a whole new level
read more

Advanced Analytics: elevar a análise de dados a um outro nível

Implementar um modelo de Business Intelligence é muito mais que recolher dados, trata-se sobretudo de converter esses grandes dados em insights valiosos que irão acrescentar valor ao negócio. No entanto, se não houver um modelo que permite analisar e compreender os dados que vão surgindo, tudo o que irá existir serão números sem contexto e sem valor acrescentado.

Para fazer uma análise de dados correta é necessário ter em atenção que não existe apenas um método válido de análise; este processo está dependente das necessidades em questão e do tipo de dados recolhido, afim de aplicar a metodologia correta de análise.

Existem, no entanto, métodos comuns de advanced analytics que permitem tornar os dados em valor acrescentado, mesmo quando à partida não existem regras de negócio bem definidas, transformando um aglomerado de dados em insights relevantes para o negócio, que permite a tomada de decisões fundamentada.

Dados quantitativos e dados qualitativos

Antes de abordar os vários métodos, é necessário entender que tipo de dados que vão ser analisados. Para dados quantitativos, o foco está na quantidade de números em bruto, como o próprio nome indica. Deste tipo são exemplos os dados de sales, de marketing, de payroll, receita e despesa, etc. No fundo, refere-se a dados que são quantificáveis e passíveis de ser medidos objetivamente.

Dados qualitativos são, por sua vez, mais dificeis de interpretar à partida, uma vez que são dados não estruturados, mais subjetivos e de natureza interpretativa. A este campo pertencem exemplos como informação recolhida de sondagens, entrevistas aos empregados, questionários de satisfação, etc.

Medir dados quantitativos

Relativamente à análise de dados quantitativos, existem quatro métodos que vão elevar essa análise a um novo nível.

  1. Análise de Regressão

A escolha sobre qual o melhor tipo de estatística irá depender sempre do objectivo da pesquisa.

A análise de regressão permite modelar a relação entre uma variável dependente e uma ou mais variáveis independentes. Em data mining, esta técnica é utilizada para prever valores num dataset particular. Por exemplo, pode ser utilizada para prever o preço de um produto, tendo em conta outras variáveis. Pode também ser utilizada para identificar tendências e corelações entre fatores.

A regressão é um dos metódos de análises de dados mais usados no mercado para efeitos de gestão, planeamento de marketing, previsões financeiras, entre outros.

  1. Teste de hipóteses / teste de significância

Este método, também chamado de t testing, permite inferir se uma determinada premissa é verdadeira para o data set. Na análise de dados e em estatística, será considerado o resultado de uma hipótese que seja estatisticamente significativa, cujo resultado não possa ter decorrido de um acaso aleatório. Este procedimento infere sobre quantidades de interesse de uma população a partir de uma amostra observada, utilizando a teoria da probabilidade.

  1. Simulação Monte Carlo

Um dos métodos mais populares para calcular o efeito de variáveis imprevisiveis de um factor específico são as simulações de Monte Carlo que utilizam a modelagem de probabilidade para ajudar a prever o risco e a incerteza. Para testar um cenário ou hipótese, esta simulação recorre a números aleatórios e dados para simular uma variedade de outcomes possíveis. Esta ferramenta é frequentemente utilizada nas áreas de project management, finanças, engenharia e logística, entre outras.  Ao testar uma variedade de hipóteses, é possível concluir como é que uma série de variáveis aleatórias podem afetar os planos e projetos.

  1. Redes Neurais Artificiais

Este modelo computacional replica o sistema nervoso central de um humano ( neste caso, o cérebro), permitindo à máquina aprender através da observação dos dados, o chamado machine learning. Este processamento de informação replica as redes neurais, utilizando um modelo de inspiração biológica para processar a informação e aprender com análise, ao mesmo tempo que consegue fazer previsões. Neste modelo, os algoritmos partem de inputs amostrais e aplicam o raciocinio indutivo – extraindo regras e padrões de grandes conjuntos de dados.

Sílvia RaposoAdvanced Analytics: elevar a análise de dados a um outro nível
read more

5 dicas úteis para construir um chatbot simples com Azure

Uma forma inteligente para construíres um chatbot personalizado

Queres saber como configurar passo a passo um chatbot no Microsoft Azure? Queres aprender a trabalhar com o LUIS?

Com o Microsoft Azure e o Azure Bot Service já é possível de forma rápida e simples criar um chatbot Azure que pode ser conectado às redes sociais. A plataforma disponibiliza modelos de template básicos preparados para vários cenários que facilitam o desenvolvimento.

Um dos desafios associados à criação de chatbots é precisamente a capacidade que têm de compreender de forma inteligente as intenções e a mensagem escrita do utilizador em conversação, através da habilidade de processamento da linguagem natural. O que é possível através dos serviços cognitivos da Microsoft, mais precisamente o LUIS.

O LUIS (Language Understanding Intelligence Service) é um serviço de linguagem natural que permite humanizar e criar um bot sofisticado que decifra mensagens complexas:

  • compreende os comandos e objetivos do utilizador (intenções),
  • executa ações a partir da extração de informação valiosa das frases e expressões (entidades).

Uma das grandes vantagens é que o LUIS consegue fazer uso do serviço de linguagem natural sem ser necessário implementar algoritmos de raiz. A segunda é que este serviço de linguagem natural está em constante evolução, refinando a sua capacidade de associar as expressões às intenções corretas.

Cria e a implementa um novo chatbot Azure, aplicando estas 5 tips que te vão ajudar a otimizar o teu tempo:

  • Utiliza o Azure function bot e integra-o com o LUIS. Tira partido do serviço: da sua compreensão de linguagem, melhora e refina as intenções das expressões.
  • Tira proveito das diferentes funcionalidades do Azure Bot Service: webchat para testes, scripts básicos pré-programados e preparados e integração com diferentes canais e redes sociais
  • Utiliza o potencial e as capacidades que o LUIS te dão. Cria o teu modelo personalizado de linguagem natural, introduzindo frases (“utterances”) e definindo “intents” e “entitites”. O LUIS é dialogue driven. Foca-te nas expressões e intenções associadas a estas para melhorares o teu bot.
  • Constrói as frases mais variadas possíveis para preverem diferentes tipos de pergunta dos utilizadores e tornares o nível de conversação o mais personalizado e humanizado possível.
  • O LUIS tem a capacidade de aprender. Uma vez criado o primeiro modelo, progressivamente vai absorvendo novas informações através das conversações e interações em chat real com os utilizadores. Podes sempre fazer ajustes ao longo do tempo e incluir novos diálogos.

O teu próximo chatbot Azure pode estar à distância de uma palavra.

Ver meetups da XTech Community
Sara Godinho5 dicas úteis para construir um chatbot simples com Azure
read more